Mercado Imobiliário

Empreendedorismo Feminino: uma resposta à discriminação de gênero

0

Você sabe que dia 19 de novembro é comemorado o dia de um dos mais significativos desenvolvimentos econômicos e sociais do mundo? Sabe que desenvolvimento é esse?  Não? Pois estamos falando da ascensão do fenômeno do empreendedorismo feminino

O empreendedorismo feminino deve ser estudado como um campo separado por duas razões principais: 

– O empreendedorismo feminino é uma fonte importante de crescimento econômico na criação de novos empregos e, por ser geneticamente diferente, as mulheres fornecem soluções diferentes para questões de gestão e negócios;

– O empreendedorismo feminino foi negligenciado, principalmente na pesquisa de negócios. 

Embora a igualdade de oportunidades para homens e mulheres no campo empresarial não seja uma realidade a curto prazo, o progresso em direção a sua realização poderia ser facilitado se houvesse uma melhor compreensão do impacto do empreendedorismo feminino na sociedade e sua contribuição para o crescimento econômico

Mas o que é Empreendedorismo Feminino e por que ele tem uma data? Vamos conversar um pouco mais sobre isso? Acompanhe a leitura e comemore!

Conceituando o Empreendedorismo Feminino

Quando falamos de Empreendedorismo Feminino estamos nos referindo, especialmente, à mulheres empresárias. São elas que organizam e administram uma empresa e gerenciam o próprio negócio.

Apesar do fato de as mulheres em todo o mundo estarem adotando o empreendedorismo como forma de trabalho, e se tornando contribuintes integrais para as economias de seus países, elas são frequentemente esquecidas no mundo dos negócios. 

É por isso que o Dia do Empreendedorismo da Mulher existe – para celebrar e lembrar da importância de capacitar as mulheres líderes empresariais e empreendedoras no mundo inteiro!

E como essa data aconteceu? A gente conversa sobre isso no próximo tópico.

19 de novembro: Dia do Empreendedorismo Feminino

A autora, humanitária e empreendedora Wendy Diamond estabeleceu o Dia do Empreendedorismo Feminino e criou uma organização associada à data após uma viagem à Honduras, durante a qual foi voluntária na Fundação Adelante que fornece microcrédito para mulheres de baixa renda. 

De acordo com a organização, Diamond foi a pioneira de um movimento focado em capacitar mulheres nos negócios, cuja intenção visa reduzir a pobreza.

Segundo ela, a inspiração veio do fato de que as mulheres em todo o mundo têm sido historicamente mal remuneradas, subestimadas, sub-representadas, sub-financiadas. Ela sabia que precisava fazer algo.

Foi aí que, ao retornar aos Estados Unidos, ela decidiu que queria desenvolver um projeto para ajudar essa e outras causas filantrópicas. 

O primeiro dia foi realizado em 19 de novembro de 2014 pela ONU e foi observado em 144 países naquele ano. Contou com o apoio, participação e premiação de diversas autoridades políticas e personalidades.

O evento foi descrito pela revista Fortune como “um movimento global para celebrar e apoiar fundadoras e lançar luz sobre alguns de seus desafios”

A revista Forbes disse que a intenção também era “mobilizar uma rede global de mulheres empresárias e agentes de mudança que apóiam e capacitam esta comunidade de mulheres empresárias e seus negócios”.

Atualmente a data continua sendo uma inspiração para celebrar as mulheres nos negócios e a incentivá-las, mulheres e meninas, a participarem da economia de seus países por meio da liderança e do empreendedorismo

Além disso, as comemorações continuam sendo realizadas nas Nações Unidas e em 144 países, bem como em 65 instituições de ensino superior em todo o mundo.

Bem, não é difícil presumir que a data se tornou muito importante, não é mesmo? Vamos agora falar sobre o por quê?

Por que isso é importante?

O empreendedorismo é necessário para iniciar o processo de desenvolvimento econômico dos países desenvolvidos e em desenvolvimento, pois é a espinha dorsal da economia de qualquer país.

O empreendedor é um agente catalisador de mudança. Também é fundamental para sustentar o processo de desenvolvimento econômico. Cada país tenta, ou deveria, alcançar o desenvolvimento econômico para a prosperidade e um melhor padrão de vida de seu povo. 

O desenvolvimento tem dimensões econômicas, sociais e políticas e é incompleto sem o desenvolvimento das mulheres, que constituem cerca de 51% da população mundial. Portanto, a contribuição das mulheres é essencial nas atividades econômicas para a construção de uma nação saudável.

Nesta era de ouro de globalização, digitalização e boom de startups, estamos claramente vendo uma revolução em relação às mulheres empresárias. Elas não vêm apenas de famílias de empresários estabelecidas ou das camadas de renda mais alta da população. Pelo contrário, elas vêm de todas as classes sociais e de todas as partes do país.

De empresas de mídia esportiva a construtoras e agências de segurança, produtoras de conteúdo, lançadoras de tendência, entre tantas outras áreas, as mulheres estão se lançando em campos que tradicionalmente são pilares da dominação masculina. Campos esses que incluem o ramo imobiliário. 

O papel das mulheres em nossa sociedade mudou drasticamente nas últimas décadas e para melhor. As mulheres estão agora ocupando cargos corporativos antes considerados masculinos. Os estereótipos de gênero que eram mais prevalecentes na sociedade décadas atrás estão se rompendo lentamente.

Mulheres trazem um conjunto diferente de perspectivas para a solução de problemas que podem aumentar a qualidade da solução e decisão, já que têm uma gama de questões e experiências que podem ajudar na tomada dessas decisões

As mulheres empresárias foram reconhecidas durante a última década como uma importante fonte inexplorada de crescimento econômico. Mulheres empresárias criam novos empregos para si mesmas e para os outros e propõem soluções diferentes de gestão

Diante da crise financeira que vários países enfrentam, especialmente no nosso caso, o impacto das dificuldades provocadas por essa crise não foi indiferente nas mentes das mulheres, pois elas compreenderam a necessidade de ganhar mais.

O ramo imobiliário entra aqui e nós vamos ver o que isso tem a ver com a gente. Vamos lá?

Empreendedorismo feminino no mercado imobiliário

Existem poucos mercados hoje em dia que não viram uma mudança drástica no papel que as mulheres desempenham e o setor imobiliário não está imune a essas mudanças

Historicamente, as mulheres não puderam estar envolvidas com o mercado imobiliário desde o início. Era uma profissão masculina e elas eram proibidas, por lei, de trabalhar. Foi somente em 1958 que elas passaram a trabalhar com corretagem.

Inicialmente elas ocupavam cargos de escritório, bastante burocráticos. Depois assumiram funções de corretoras, embora a um ritmo relativamente lento. 

Em todo o país, as corretoras se destacam no mercado de imóveis residenciais, mas ainda precisam fazer uma entrada enfática no mercado comercial. Entrada essa muitas vezes impedida pela desvalorização. 

É importante destacar as conquistas das mulheres no mercado imobiliário e discutir a questão de gênero em um campo ainda caracterizado pela desigualdade em seus níveis mais elevados e na arena comercial.

Mulheres vendem mais, mas isso não significa reconhecimento. As características citadas antes e, muitas delas, culturalmente adquiridas, possibilitam às mulheres um desenvolvimento maior e que gera melhores resultados. 

No entanto, muitas vezes, a posição subalterna a que são submetidas, em oposição às qualidades que possuem, “forçam” sua saída rumo ao empreendedorismo

E o destaque não para aí! Mulheres costumam estar mais disponíveis e abertas para qualificação profissional. Estudam mais, participam mais de eventos, cursos e palestras, leem mais.

Tendem, então, a juntar todas qualidades e empenho que possuem para gerenciar o próprio negócio imobiliário e somam-se a outras tantas empreendedoras que gerenciam a si e empregam a outros.

Algumas competências elementares exigidas para se tornar um bom empreendedor imobiliário incluem ter conexões de rede ativas, familiaridade com áreas locais e habilidades incisivas de negociação. 

Como esses atributos são naturais para a maioria das mulheres, elas estão se tornando bastante bem-sucedidas em seus empreendimentos, redefinindo totalmente o setor aos poucos.

As mulheres são geralmente conhecidas por exibir um maior nível de empatia e persistência, elas também tendem a ser mais sensíveis e pacientes em relação às necessidades do cliente, levando a uma taxa ainda maior de satisfação desse consumidor.

Apesar de toda discriminação e desigualdade que, infelizmente, ainda há no ramo de imóveis, hoje há muito mais espaço e equidade para as mulheres trabalharem. Ao contrário de antigamente, na atualidade o setor apresenta grandes oportunidades para as empreendedoras imobiliárias.

Uma carreira no mercado imobiliário é desafiadora e gratificante. Pode ser que, olhando para o cenário atual, a sensação é de que as mulheres apenas tocaram a ponta do iceberg. Talvez até seja melhor assim, pois ainda há muito a ser conquistado. 

As empresas estão conscientes disso e têm viabilizado mulheres em posições de liderança. É bem verdade que o setor compreende a força, a inteligência e o aumento da boa vontade corporativa que uma corretora imobiliária de sucesso traz consigo (aliás, isso se aplica a muitas outras áreas).

Faz isso devido ao conjunto de habilidades distintas, perspectiva e experiência de vida dessas mulheres que não apenas expande a visão da empresa, mas como também produz melhores resultados.  

E quando isso não acontece ou não é suficiente, muitas mulheres decidem empreender por saber que têm o que precisam para isso.  

O futuro das mulheres no mercado imobiliário é extremamente fértil e pode ser  transformador. De fato, o mundo não ficará imune a esse vislumbre do que elas podem fazer.

Confira abaixo depoimentos de mulheres empreendedoras que fazem parte da nossa rede:

Feliz Dia do Empreendedorismo Feminino! Parabéns a todas as mulheres empreendedoras, especialmente as do mercado imobiliário, e a todas as pessoas que reconhecem e investem na emancipação das mulheres.

Felicitações da Rede UNE!

 

Corretor e Consultor Imobiliário: tem diferença?

Artigo anterior

E-book – Aprenda como utilizar o círculo cromático para acertar nas cores da sua decoração

Próximo artigo

Talvez você também goste

Mais artigos em Mercado Imobiliário