Casa e DecorMudança

Como preparar e adaptar as crianças à mudança de casa Parte I – Planejando a mudança

0

Mudar-se pode não apenas causar ansiedade em adultos, como também perturbar a rotina diária das crianças, o que pode causar estresse, principalmente, naquelas predispostas à introversão ou ansiedade. 

Qualquer tipo de realocação pode ser estressante para as crianças, mas as mudanças desencadeadas por eventos da vida podem ser ainda mais desafiadoras para elas. É preciso calma e paciência para lidar com elas nesse momento.

Como ajudar as crianças a lidar com a ansiedade da mudança? Seja uma criança pequena, um adolescente ou até filhos mais crescidos, minimizar o estresse e o sofrimento relacionado à mudança é possível e nós queremos te ajudar com isso. 

Pensando na melhor maneira de facilitar esse momento, a Rede UNE preparou essa série para você com dicas para ajudar com os pequenos. Serão três postagens abordando o assunto e que você não vai querer perder! Acompanhe a leitura com a gente.

Existe uma melhor idade para crianças se mudarem?

Existe sim e é a primeira infância. Isso porque ela ainda não entrou na escola e sua rotina diária será menos perturbada. Para crianças em idade escolar, quanto menor ela for, melhor é, porque crianças menores tendem a aceitar mais facilmente novas situações sociais e novas pessoas. 

Mudanças nas séries finais do ensino fundamental e médio costumam ser dificultadas pela puberdade e mudanças hormonais. De fato, os alunos do ensino médio relutam em se afastar de seus grupos de amigos.

Abaixo separamos três grupos por idade para você visualizar melhor o como preparar e tornar esse momento mais fácil para seus filhos. Veja:

0-3 anos

O que preparar: Embora as crianças mais novas possam se reajustar mais facilmente ao novo local, também podem ter mais dificuldade durante a mudança em si. Podem ficar confusas quando não têm seus brinquedos e podem ficar irritadas sem uma programação regular.

Como tornar mais fácil: Deixe alguns brinquedos favoritos ao alcance e embale-os por último. No dia da mudança, mantenha sua programação o mais consistente possível, talvez tendo um membro da família ou babá por perto para garantir que eles tirem uma soneca.

Idade pré-escolar e educação infantil

O que preparar: Crianças pequenas podem se sentir confusas e frustradas, mas também curiosas sobre o novo local e animadas para morar em uma nova casa.

Como tornar mais fácil: Passe muito tempo falando sobre as coisas interessantes para fazer em seu novo bairro. Reserve um tempo para responder a todas as perguntas, grandes e pequenas, conforme elas surgirem.

Ensino fundamental e médio

O que preparar: prepare-se para grandes e fortes emoções por ter que deixar as amizades para trás, além de grande ansiedade por começar em uma nova escola.

Como tornar mais fácil: ajude-os a se adaptar apresentando-os às crianças e aos adolescentes de sua vizinhança e inscrevendo-os em atividades imediatamente. Envolva as crianças mais velhas na mudança, ajude-as para que sintam que são parte desse novo tempo.

Agora queremos voltar nossa atenção especialmente aos pequenos. Afinal, nosso objetivo aqui é auxiliar pais e mães na preparação e adaptação das crianças em período de mudança

Sabemos que essa é uma grande transformação na rotina dos pequenos e isso pode deixá-los ansiosos, tristes ou confusos e os pais precisam administrar as emoções das crianças para ajudá-las a lidar bem com a situação. Preparamos seis tópicos de como tornar esse processo mais fácil. Vamos lá?

Tenha uma conversa emocionante com seus filhos

Depois de decidir definitivamente que está se mudando, é melhor contar a seus filhos o mais rápido possível. Isso lhes dará tempo para lidar com as mudanças, superar o estresse inicial e ficar entusiasmados com o novo capítulo que se aproxima.

Planeje uma conversa em família

Faça uma reunião de família e certifique-se de que todos estejam presentes. Todos os membros da família devem ouvir as notícias ao mesmo tempo e diretamente de você, não uns dos outros. 

Alguns especialistas recomendam dizer a seus filhos tudo o que está motivando a mudança, para que eles entendam melhor porque isso precisa acontecer. 

Claro, esta estratégia funciona melhor para crianças mais velhas e às vezes não é a melhor ideia se você estiver se mudando devido a um divórcio, falência ou perda de emprego. 

Você não vai querer dar a eles mais motivos com que se preocupar, não é? Mas use sempre da sinceridade e clareza e escolha bem as palavras certas para informá-los com a verdade sem que isso lhes cause ainda mais estresse.

Concentre-se em dar lhes os aspectos positivos da mudança

Seja qual for o motivo da mudança, concentre-se no positivo. Por exemplo, se você estiver mudando para um clima mais quente, converse sobre todas as atividades divertidas ao ar livre que sua família poderá desfrutar durante todo o ano.

Disponibilize fotos da nova cidade ou bairro, compartilhe informações sobre escolas e destaque dicas de lazer, diversão ou atividades que os deixarão entusiasmados.

Escute e entenda

Você provavelmente receberá alguma resistência, talvez lágrimas, mas é importante que seus filhos entendam que você sabe como é difícil e que fará tudo o que puder para suavizar a transição. Mesmo que seja um momento agitado, não ignore as preocupações de seus filhos.

Explique o processo cuidadosamente

As crianças mais velhas não precisam de tanto esforço para se mudar como as crianças mais novas, mas requerem atenção por que fazem perguntas mais elaboradas. Por esse motivo também são capazes de compreender melhor o momento. Procure sempre envolvê-las no processo e deixa-as a par de tudo planejando com a ajuda delas. 

Envolva as crianças na busca de casa

Tornar as crianças parte do processo de tomada de decisão é uma ótima maneira de aliviar a ansiedade causada pela mudança. Ao mostrar que você está considerando seus desejos e necessidades, você pode ajudar as crianças a deixarem de se sentir preocupadas e assim ficarem animadas com o que está por vir. Apenas certifique-se de que seus filhos saibam que, em última análise, os pais têm a palavra final.

Crie uma lista de desejos

Ao criar uma lista do que cada membro da família deseja em uma nova casa, as crianças sentirão que têm algum controle sobre a situação. Talvez o adolescente queira uma sala de jogos ou o filho mais novo queira morar perto de um parque. 

Todas essas coisas são ótimas para incluir na sua lista de desejos. Diga às crianças que você fará o seu melhor para incorporar seus desejos. Lembre-se de deixar claro que o desejo não é uma promessa.

Delegue tarefas de pesquisa para crianças

Crianças mais velhas que têm permissão para usar o computador podem ser encarregadas de pesquisar um novo local e identificar bairros que possam agradar a todos os membros da família. Eles também podem pesquisar atividades extracurriculares que correspondam aos seus interesses – um novo estúdio de dança, um time de futebol ou um programa pós-escola.

Poupe as crianças de ir a todas visitas

Você pode ter que visitar várias casas antes de encontrar a casa certa para sua família. Evite levar seus filhos para essas visitações, especialmente se eles forem mais novos, pois, certamente, ficarão cansados ​​ou entediados com facilidade. Limite essas visitas a casas favoritadas antes de envolver as crianças.

Quando levar as crianças, certifique-se de ter lanches e jogos para o passeio de carro, saiba onde comer alguma coisa nas proximidades e reserve bastante tempo para levá-las ao banheiro. A ansiedade será inevitável!

Explore as atividades da vizinhança

Se houver tempo entre as visitas, tente explorar a vizinhança – caminhe pelo bairro, pegue um sorvete ou verifique as escolas da região. Você também pode envolver as crianças para ver a distância da caminhada até parques, escolas e atividades.

Rede UNE

Estamos sempre preocupados em trazer até você soluções que facilitem a sua vida. Nessa primeira parte da série Como preparar e adaptar as crianças à mudança de casa, trouxemos dicas para você planejar a mudança com as crianças. 

Na sequência, abordaremos outra questão muito importante e que pode gerar bastante estresse:  o planejamento da mudança.

Mas se você acompanhar nossas postagens, com certeza esse processo poderá ser muito mais tranquilo para você e sua família.

Não perca a Parte II desse material, A mudança vai mesmo acontecer! E agora? Fique conectado à Rede UNE e não perca o que vem por aí. Esperamos por você no próximo post sobre esse tema.

Cinco cuidados que você deve ter ao reformar o banheiro

Artigo anterior

Como preparar e adaptar as crianças à mudança de casa Parte II – A mudança vai mesmo acontecer! E agora?

Próximo artigo

Talvez você também goste

Mais artigos em Casa e Decor